Considerada uma afecção comum, o tratamento da acne é mencionado como desnecessário. O que constitui um grande erro e compromete a qualidade de vida de várias pessoas, conforme explica a dermatologista Ana Lúcia Recio.

Levando em consideração que 85% da população que é acometida pela acne em algum momento da vida. E os excelentes resultados obtidos através de simples procedimentos é notória a importância do tratamento, que se faz necessário, em muitos casos.

A dermatologista Ana Lúcia Recio, membro da Academia Americana de Dermatologia e fundadora da Sociedade Brasileira de Laser e Cirurgia diz que muitas vezes o médico aconselha remédios sistêmicos para controlar a inflamação, que contribuem para a renovação celular e melhoria da pele. “Casos graves pedem a ingestão do ácido retinóico, via oral, sempre com prescrição”, diz.

Cravos e espinhas nunca devem ser espremidos, pois o resultado pode ser uma cicatriz indesejável. Para o tratamento das cicatrizes, existem várias opções terapêuticas que podem ser associadas para um melhor resultado cosmético. Laser, Peelings, Preenchimentos, também são utilizados no tratamento de cicatrizes.

A influência do leite na acne

  • Um trabalho publicado em revista científica da Academia Americana de Dermatologia, compilou 47.000 participantes onde embasam a relação entre acne e o consumo de leite e derivados.
  • A importância do estudo baseia-se na necessidade de se observar a dieta (leite e derivados) como parte da causa da acne e, portanto relacionada ao tratamento. Lembrando que não há na literatura médica trabalhos que indiquem uma lista de alimentos prejudiciais à pele. Vale observar a explicação a seguir para entender como o leite pode interferir na doença.
  • Exames do leite mostraram a presença de progesterona da placenta e outros compostos hormonais produzidos na glândula mamária da vaca. Estes hormônios são muito parecidos com o hormônio considerado atuante sobre a glândula sebácea humana o que gera os cravos, espinhas e cistos.