Chamado também de câncer de pele, o melanoma tem origem nas células que produzem melanina (substância que dá cor à pele). Dos tumores malignos de pele no Brasil, ele representa apenas 3%, mas é o mais grave devido à sua alta possibilidade de metástase. Se detectado precocemente, o prognóstico é considerado bom, pois a medicina atual conta com tratamentos de impacto favorável à sobrevida. Se um indivíduo desenvolve melanoma, seus filhos têm quatro vezes mais chances de ter a doença quando comparados à população geral.

Apesar de nem todas as regiões pigmentadas se transformarem em câncer, devemos estar atentos tanto aos sinais existentes como ao surgimento de novos. O dermatologista é o médico que avalia e define quais pintas são benignas e quais são potencialmente malignas. O paciente pode fazer uma dermatoscopia (exame feito com microscópio de superfície) durante a consulta médica ou pode ser submetido à dermatoscopia digital, um mapeamento completo de todas as lesões pigmentadas. É sempre importante prestar atenção se o sinal mudou de tamanho, cor, textura ou formato.

Mas não se assuste! Não precisa sair correndo para fazer exames se você tem algum sinal. Um médico bem treinado saberá avaliar sua pele na própria consulta e encaminhará ao mapeamento apenas se houver múltiplas lesões.

Não se descuide da saúde de sua pele. Procure sempre um dermatologista!