A automedicação é comum em nossa sociedade, seguindo um padrão cultural. Receitas passam de mãe para filha, a amiga que apresentava os mesmos sintomas e usou um certo produto ficando “totalmente curada”… No entanto a utilização de pomadas ou cremes que parecem inofensivos pode deixar seqüelas irreversíveis.

É o caso do creme à base de cortisona para pequenas inflamações na pele da face. O uso continuado desenvolve um processo no qual ocorrerá a atrofia da cútis, que se torna fina e brilhante com muitos vasinhos. E a interrupção do medicamento é muito difícil, já que a pele fica “acostumada e dependente” dele. A sua suspensão gera uma grande reação inflamatória local. Com a ajuda de um médico dermatologista, no entanto, é possível reverter o processo. Mas as seqüelas necessitam de laserterapia para a remoção dos vasinhos, assim como o uso de cremes e medicamentos sistêmicos.

Outro problema que pode ocorrer com a utilização inadequada do medicamento é o desenvolvimento de estrias na pele, pelo uso prolongado de corticóide para tratar de provável alergia (vide foto-estrias na axila causadas pelo uso de corticóide indevidamente).

Para o dermatologista é importante visualizar a lesão inicial sem a interferência de produtos, pois isto dificulta o diagnóstico assim como tratamento.

CONSIDERE AS SEGUINTES ORIENTAÇÕES:

  • Siga a instrução do médico dermatologista quanto ao NÚMERO de aplicações diárias e TEMPO de uso. Recorrer ao produto mais vezes que o recomendado não otimiza o tratamento.
  • A utilização prolongada de alguns medicamentos pode causar seqüelas irreversíveis.
  • Não use aquela pomadinha que você tem no seu armário porque em outra ocasião ela foi útil ou porque é a que você tem no momento.
  • Se tiver dúvidas em relação à orientação dada pelo médico, não hesite em procurá-lo para esclarecê-las.
  • O bom senso é saudável e não traz problemas.