Com início no dia 20 de março, a temporada outono-inverno é o período em que o aparecimento de lesões dermatológicas e sintomas de pele seca e rachada são mais comuns. Nestas estações, o corpo tende a ficar suscetível às agressões externas, por isso, é preciso cuidar da pele, ainda mais, da região cutânea, que sofre maior exposição.

Como no frio a umidade do ar é menor, a pele necessita de muita hidratação, pois é revestida de um manto de água e gordura (hidrolipídico), que a protege da invasão de bactérias e fungos e tende a ficar ainda mais seca nessas condições climáticas.

Os locais mais afetados pelo ressecamento são as extremidades, como a parte inferior das pernas – freqüentemente mais seca, mesmo em épocas mais amenas. Manter a pele hidratada, além de evitar fissuras e aspereza também evita manchas e coceiras – sintomas da pele seca.

Também é preciso ter bom senso no banho. A água quente é a grande vilã das estações frias, pois enquanto aquece o corpo, retira a gordura natural e toda a proteção cutânea. Tome banhos mornos, sem muita espuma e evite sabonetes alcalinos.

Além desses cuidados, a proteção solar é essencial. Engana-se quem pensa que no Outono não é preciso usar fotoprotetor, sendo este necessário mesmo quando o Sol não aparece, já que a emissão de raios UVA/UVB é constante.